Vice-presidente do Uruguai critica entrada da Venezuela no Mercosul

O vice-presidente do Uruguai, Danilo Astori, criticou nesta terça-feira o ingresso da Venezuela como membro pleno do Mercosul. Em entrevista ao jornal uruguaio El Observador, ele descreveu a entrada do país governado por Hugo Chávez no bloco como uma "agressão institucional".

"Não compartilho a decisão de aceitar o ingresso da Venezuela como um membro pleno porque se trata de uma agressão institucional muito importante para o Mercosul", afirmou ele ao periódico.

"É uma ferida institucional muito importante, talvez a mais grave dos 21 anos do Mercosul", acrescentou.

Astori também disse estar otimista de que a decisão seja revertida.

A declaração ocorre um dia depois de o ministro das Relações Exteriores uruguaio, Luis Almagro, ter afirmado, em entrevista a uma rádio local, que a entrada da Venezuela no Mercosul foi concretizada somente após pressão do Brasil, posteriormente apoiado pela Argentina.

Na ocasião, ele acrescentou que o Uruguai não concordava com a forma como o processo de ingresso do país como membro pleno foi realizado.

A afirmação foi rebatida pelo assessor especial da Presidência da República para assuntos internacionais, Marco Aurélio Garcia.