Protestos e atos de vandalismo marcam primeiras eleições livres na Líbia

Protestos e atos de vandalismo ocorrem desde o início da manhã deste sábado em meio às primeiras eleições legislativas livres realizadas em 60 anos na Líbia.

Em Ajdabiya, no leste do país, um manifestante foi morto a tiros quando tentava roubar uma urna em um posto eleitoral, afirmaram autoridades locais.

A cidade tem sido foco de protestos desde do começo da votação. Manifestantes alegam que o pleito é uma farsa e reivindicam maior autonomia para a região.

Já em Benghazi, também no leste da Líbia, tiros foram ouvidos depois que 200 manifestantes invadiram a praça principal da cidade.

Além disso, atos de vandalismo impediram que cerca de 100 postos de votação fossem abertos na região, enquanto centenas de manifestantes queimaram urnas, informou a emissora de TV "Press TV".

Milhares de líbios comparecem às urnas neste sábado para eleger 200 legisladores que formarão o Conselho Nacional Geral (CNG), o principal órgão legislativo, que substituirá o Conselho Nacional de Transição (CNT).

A principal atribuição do CNG será eleger o novo primeiro-ministro do país e seu gabinete.

Apesar dos inúmeros focos de tensão, analistas afirmaram que as primeiras eleições legislativas livres da Líbia estão transcorrendo de forma pacífica.

Segundo Nuri al-Abbar, presidente da comissão eleitoral do país, 94% dos postos de votação abriram.