EUA pressionarão Síria fora do Conselho de Segurança da ONU

O governo dos Estados Unidos afirmou que trabalhará para pressionar o regime sírio fora da esfera do Conselho de Segurança da ONU - após novo veto da Rússia e da China sobre sanções ao país.

A Rússia afirmou que uma resolução ocidental contra a Síria é inaceitável pois poderia desencadear ações militares no país.

Foi a terceira vez que os dois membros permanentes barraram resoluções mais fortes sobre a Síria no órgão.

O enviado especial à Síria da ONU e Liga Árabe, Kofi Annan, afirmou estar desapontado com a falta de união dos Membros do Conselho de Segurança. Annan lamentou que o órgão não adotou as ações fortes que ele havia recomendado.

O Reino Unido afirmou estar consternado com a posição da Rússia e da China.

"Mais de 14 mil sírios inocentes foram mortos desde que a Rússia e a China vetaram pela primeira vez nossos esforços para acabar com a violência em outubro do ano passado", disse o embaixador britânico na ONU Mark Lyall Grant.