EUA criam mais vagas em julho, mas desemprego sobe para 8,3%

Feira de empregos em Los Angeles (Getty) Direito de imagem Getty
Image caption Ritmo de criação de vagas de emprego nos EUA foi melhor do que o esperado

Os Estados Unidos registraram uma taxa de desemprego de 8,3% em julho, segundo dados oficiais divulgados nesta sexta-feira.

Isto representa a continuação da leve trajetória de subida do indicador em abril, quando o desemprego chegou a 8,1% - nível que desde então não conseguiu romper.

Entretanto, o ritmo de criação de vagas foi melhor que o esperado. A economia abriu 163 mil vagas de trabalho no mês passado, contra 64 mil (revisadas de uma estimativa inicial de 80 mil) no mês anterior. Os analistas esperavam um aumento de cem mil vagas.

Os resultados deram impulso às bolsas americanas, que subiram logo após o anúncio.

Segundo o Escritório de Estatísticas do Trabalho dos EUA, o resultado de julho implica que o ritmo de criação de vagas de trabalho no primeiro semestre foi de 151 mil postos por mês, semelhante ao do mesmo período de 2011.

Analistas estimam que a economia americana precisa criar entre cem mil e 120 mil vagas mensalmente para evitar que a taxa de desemprego suba. No último trimestre, a criação de empregos vinha ficando abaixo deste patamar.

O número pode influenciar na campanha à reeleição do presidente Barack Obama, já que nenhum presidente foi eleito com uma taxa de desemprego acima de 8% desde o fim da 2ª Guerra Mundial.