Procurador-geral da República apresenta acusações do mensalão

Logo após a abertura do segundo dia de julgamento no Supremo Tribunal Federal (STF), Roberto Gurgel, procurador-geral da República, deu início nesta sexta-feira à leitura das acusações contra os 38 réus do mensalão.

Gurgel representa a acusação e já deveria ter começado sua apresentação na quinta-feira, mas um embate entre os ministros Joaquim Barbosa (relator do caso) e Ricardo Lewandowski (revisor) atrasou o primeiro dia do julgamento.

Ele terá cinco horas para expor seus argumentos.

Logo após uma abertura, onde citou reportagens sobre o assunto, Gurgel voltou a dizer que o caso foi o escândalo de corrupção "mais atrevido" da história brasileira e que tem "provas contundentes" contra o ex-ministro-chefe da Casa Civil José Dirceu.

Na quinta-feira, os ministros do STF rejeitaram por 9 votos contra 2 o pedido do advogado e ex-ministro da Justiça Marcio Thomaz Bastos, que defende um dos réus, pelo desmembramento do processo.

O pedido era de que os réus que não têm foro privilegiado fossem julgados pela primeira instância. O argumento, que já havia sido discutido pela corte suprema, foi rejeitado sob a justificativa de que há coautoria e o processo não pode ser dividido em tribunais diferentes.

Notícias relacionadas