Equador pede que OEA analise questão do asilo a Assange

Atualizado em  16 de agosto, 2012 - 18:58 (Brasília) 21:58 GMT

O Equador pediu nesta quinta-feira à Organização dos Estados Americanos (OEA), com sede em Washington, uma reunião de ministros de Relações Exteriores para amparar o direito do país de oferecer asilo político ao fundador do WikiLeaks, Julien Assange.

A delegação pediu que o encontro seja realizado na semana que vem.

O chanceler britânico, William Hague, afirmou que o governo não permitirá a saída de Assange do país, pois "não há base legal" para isso.

O pedido equatoriano para que o tema seja levado ao maior plenário da OEA recebeu o apoio da Argentina e de outros sul-americanos, como Bolívia, Uruguai e Venezuela.

Os países sul-americanos já se solidarizaram com o governo argentino em outro conflito com a Grã-Bretanha, a possessão britânica das ilhas Malvinas/Falklands, pelas quais os dois países entraram em guerra nos anos 1980.

Outros sul-americanos, como Bolívia e Uruguai, também aprovaram as propostas.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.