OEA apoia Equador por unanimidade no caso Assange

Atualizado em  24 de agosto, 2012 - 21:14 (Brasília) 00:14 GMT

Os países-membros da OEA (Organização dos Estados Americanos) chegaram a um acordo "aceitável para a maioria de seus representantes" no qual mostram "solidariedade e apoio" ao Equador em sua disputa com a Grã-Bretanha sobre o destino de Julian Assange.

O Canadá foi a única nação que apresentou objeções à resolução. Os Estados Unidos afirmaram que a declaração poderia seguir adiante, segundo a BBC Mundo.

Um texto comum foi negociado e aprovado após as nações concordarem em não usar a palavra "ameaça".

Diplomatas equatorianos haviam afirmado anteriormente que o governo britânico havia ameaçado invadir a embaixada do país em Londres para prender Assange. O Equador concedeu asilo diplomático ao australiano.

A Grã-Bretanha quer deter o fundador do WikiLeaks para cumprir um acordo de extradição firmado com a Suécia, onde Assange é acusado de crimes sexuais.

O observador britânico na OEA, Philip Barton, negou que seu governo tenha ameaçado invadir a embaixada.

"Em nenhum momento o Reino Unido fez nenhuma ameaça à embaixada do Equador", disse. O diplomata também defendeu o diálogo bilateral para resolver o impasse.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.