Imã é preso por envolvimento em caso de menina acusada de queima do Corão

Atualizado em  2 de setembro, 2012 - 07:49 (Brasília) 10:49 GMT
Clérigo Khalid Chishti (centro) chega à uma audiência escoltado pela polícia paquistanesa (AFP/Getty)

Clérigo Khalid Chishti (centro) chega à uma audiência escoltado pela polícia paquistanesa (AFP/Getty)

A polícia do Paquistão prendeu um clérigo muçulmano acusado de colocar páginas queimadas do Corão, o livro sagrado dos muçulmanos, na bolsa de uma menina cristã acusada de blasfêmia.

A menina, identificada apenas como Rimsha e que teria cerca de 14 anos, foi detida há duas semanas perto da capital, Islamabad, acusada de queimar o Corão.

Mas, neste final de semana, uma testemunha afirmou que viu o imã Khalid Chishti colocando as páginas do Corão na bolsa onde a menina levava outros papéis queimados. Chishti teria tomado a bolsa da menina.

O caso gerou polêmica internacional, pois as leis paquistanesas contra blasfêmia chegam a aplicar até a pena de morte contra os acusados e condenados pelo crime.

A menina também teria problemas de aprendizado. A BBC teve acesso a um relatório médico encomendado pelo governo paquistanês que sugere que a idade mental da adolescente é de menos de 14 anos.

Vinganças

No começo desta semana, a Justiça do Paquistão determinou a extensão da prisão de Rimsha por mais duas semanas em uma prisão de segurança máxima.

O pai da adolescente afirmou que teme pela vida de Rimsha e pela segurança do resto da família. Ele pediu que o presidente paquistanês, Asif Ali Zardari, perdoe a filha.

Os pais da adolescente estão sob a proteção da polícia depois de receberem ameaças e outras famílias cristãs que moram no bairro onde ocorreu o incidente já fugiram.

Segundo correspondentes no país, as leis paquistanesas relacionadas à blasfêmia frequentemente são usadas em casos de vinganças pessoais.

Em 2011 dois políticos importantes do Paquistão foram assassinados depois de se pronunciarem contra esta legislação.

Leia mais sobre esse assunto

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.