Hong Kong recua e desobriga aulas de patriotismo chinês

Atualizado em  8 de setembro, 2012 - 12:32 (Brasília) 15:32 GMT
Foto: AP

Líder de Hong Kong recuou de planos para educação

O governo de Hong Kong recuou sobre o plano de estabelecer aulas de partriotismo chinês nas escolas, depois de semanas de protestos.

O líder de hong Kong, Leung Chun-ying, disse que as aulas seriam opcionais para as escolas.

"As escolas recebem a autoridade para escolher quando e como gostaríam de introduzir a educação moral e nacional", disse.

Críticos afirmavam que os planos eram uma tentativa de lavagem cerebral nas crianças da cidade pelo governo chinês em Pequim.

O governo disse que o assunto era importante para fomentar um sentimento de identidade nacional.

Manifestações anti-Pequim vêm crescendo na semi-autônoma Hong Kong, uma cidade de sete milhões de pessoas.

A decisão vem antes das eleições no domingo, quando os eleitores vão eleger pouco mais de metade dos membros da Assembleia Legislativa local, que está se expandindo de 60 para 70 assentos.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.