Paraguai considera repasse do Mercosul uma 'armadilha'

Atualizado em  12 de setembro, 2012 - 18:07 (Brasília) 21:07 GMT

O governo do Paraguai afirmou nesta quarta-feira que não irá aceitar um crédito de US$ 41 milhões do Mercosul por considerar o repasse uma "armadilha" com o objetivo de Assunção reconhecer a adesão plena da Venezuela ao bloco.

De acordo com o ministro de Obras, citado pela agência de notícias Efe, o crédito "é uma chantagem à soberania nacional".

Em junho, o Mercosul suspendeu o Paraguai após o impeachment relâmpago do ex-presidente Fernando Lugo, considerado um golpe branco por várias lideranças da região. Dias depois da posse do novo presidente, o então vice Federico Franco, Brasil, Argentina e Uruguai aprovaram a entrada da Venezuela no bloco, sem a participação paraguaia.

De acordo com as autoridades de Assunção, o documento que concedeu o crédito é assinado pelo chanceler venezuelano Nicolás Maduro.

O Mercosul anunciou que só reconhecerá as autoridades paraguaias a serem eleitas na próxima eleição, a ser realizada em 28 de abril de 2013.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.