Governo reduz previsão de crescimento do PIB para 2% e baixa encargos trabalhistas

Atualizado em  13 de setembro, 2012 - 18:06 (Brasília) 21:06 GMT

O Ministério da Fazenda reduziu para 2% a previsão de crescimento do PIB brasileiro para 2012 e anunciou, nesta quinta-feira, medidas para desonerar a folha de pagamentos, na tentativa de evitar demissões e de estimular a economia.

O governo chegou a trabalhar com a projeção de crescimento de 4,5%, mas reduziu-a para 3% em agosto. Agora, espera um crescimento ainda menor da economia brasileira.

Ao mesmo tempo, 25 setores (entre eles, ramos de transporte coletivo, indústria de alimentos, linha branca e farmacêutica e serviços de informática) serão beneficiados com desonerações na folha de pagamento, que passam a valer a partir de janeiro. Outros 20 setores haviam recebido esse benefício no início do ano.

Segundo a Agência Brasil, os setores contemplados deixam de pagar a contribuição de 20% ao INSS e pagam, em vez disso, uma tributação sobre seu faturamento. Segundo o ministro da Fazenda, Guido Mantega, em vez de pagar R$ 21,5 bilhões de INSS, os 45 setores beneficiados desembolsarão R$ 8,74 bilhões sobre o faturamento.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.