Ministro-relator analisa item sobre pagamento de propina a parlamentares

Atualizado em  17 de setembro, 2012 - 15:09 (Brasília) 18:09 GMT

O Supremo Tribunal Federal (STF) retomou nesta segunda-feira o julgamento do mensalão, com a análise do ministro-relator, Joaquim Barbosa, sobre o item que discute se houve pagamento de propina a parlamentares da base aliada em troco de apoio ao governo.

Segundo o ministro, este deve ser uma das etapas mais longas da apreciação da Ação Penal 470, como também é conhecido o caso.

Este item também deve atrair atenção da opinião pública, já que muitos políticos são réus, entre eles o ex-ministro chefe da Casa Civil, José Dirceu, o ex-presidente nacional do Partido dos Trabalhadores (PT), José Genuíno, e o ex-tesoureiro do PT, Delúbio Soares.

Segundo a Agência Brasil, a expectativa é que o presidente do STF, Carlos Ayres Britto, proponha o debate sobre a possibilidade de promover sessões extras às quartas-feiras para acelerar o julgamento.

A ideia é promover sessões extras nas manhãs de quarta-feira. Porém, ele quer tomar a decisão com o consenso dos demais nove ministros do STF. Já houve 23 sessões até a semana passada.

Este item conta com o maior número de réus mencionados ao longo da ação - 23 dos 37 de todo o processo. Barbosa informou que deve demorar pelo menos uma sessão e meia para ler seu voto.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.