Espanha defende repressão a protesto em meio a novas más notícias econômicas

Atualizado em  26 de setembro, 2012 - 12:20 (Brasília) 15:20 GMT

O governo espanhol defendeu a ação da polícia contra manifestantes que protestaram em Madri na última terça-feira, e o país voltou a ser afetado por novas más notícias no campo econômico.

O ministro do Interior, Jorge Fernández Díaz, disse nesta quarta a uma rádio espanhola que o protesto da véspera - em que manifestantes foram atingidos por balas de borracha diante do Parlamento - era "claramente ilegal" e que os policiais agiram corretamente.

Ao mesmo tempo, a preocupação com a saúde da economia espanhola - e com uma greve geral na Grécia - levou os mercados a sofrer baixas nesta quarta-feira. Na Espanha, o Ibex chegou a operar em -3,5%; as bolsas de Londres, Paris e Franlfurt também tiveram quedas.

E os custos dos juros de títulos de dez anos da dívida espanhola subiram para 6%, aumentando as dificuldades do país em pagar suas dívidas (sendo que 7% é considerado, pelos economistas, um nível instável).

Em entrevista ao Wall Street Journal, o presidente de governo Mariano Rajoy disse que a Espanha buscará um pacote de resgate se os níveis de empréstimo se tornarem insustentáveis.

Seu ministro de Economia, Luis de Guindos, havia afirmado no sábado que esperava uma contração de 0,4% na economia no trimestre de julho a setembro.

No Brasil, pouco depois do meio-dia, a Bovespa operava em baixa de 0,57%.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.