Ex-rei do Camboja morre em Pequim

Atualizado em  14 de outubro, 2012 - 20:15 (Brasília) 23:15 GMT
Norodom Sihanouk (Arquivo/AFP)

Norodom Sihanouk ainda era reverenciado no Camboja

O ex-rei do Camboja, Norodom Sihanouk, morreu neste domingo aos 83 anos em Pequim.

Segundo informações da agência estatal de notícias da China, a Xinhua, a morte do ex-rei foi divulgada pelo vice-primeiro-ministro do Camboja.

Um secretário pessoal de Sihanouk informou ainda que ele morreu devido a um ataque cardíaco em um hospital da capital chinesa.

Sihanouk era uma figura reverenciada no Camboja e assumiu o trono em 1941, liderando o Camboja quando o país declarou independência da França em 1953.

Apesar de longos períodos no exílio e da renúncia ao trono em 2004 devido a problemas de saúde, ele continuava influente.

Ele tentou, sem sucesso, manter o país longe dos conflitos que devastaram o sudeste da Ásia na década de 70. Sihanouk fechou um acordo na época com o grupo Khmer Vermelho.

O regime brutal do Khmer Vermelho, que governou o Camboja entre 1975 e 1979, foi o responsável por genocídios e crimes em massa.

Durante o governo, liderado por Pol Pot, mais de um milhão de pessoas foram mortas e alguns estimam que o número de mortos possa chegar a 2,5 milhões.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.