ONG acusa milicianos da Líbia por morte de 60 homens pró-Khadafi

Atualizado em  17 de outubro, 2012 - 07:12 (Brasília) 10:12 GMT

O grupo de defesa de direitos humanos Human Rights Watch acusou milicianos da Líbia pelo assassinato de mais de 60 simpatizantes do coronel Muammar Khadafi.

Os crimes teriam acontecido nas horas que se seguiram à captura e morte de Kadafi há cerca de um ano.

O grupo ativista afirma que as mortes aconteceram num hotel na cidade de Sirte, pouco depois do ataque ao comboio do ex-líder líbio.

A Human Rights Watch afirma ter indícios de que um dos filhos de Khadafi, Mutassim, também teria sido assassinado, depois de ter sido levado para Misrata.

O grupo fez um apelo às autoridades líbias para que seja aberto um inquérito sobre o caso.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.