Justiça decide em favor de homem que se diz difamado por busca do Google

Atualizado em  31 de outubro, 2012 - 12:37 (Brasília) 14:37 GMT

A Justiça da Austrália decidiu em favor de um homem que acusava o Google de difamar sua imagem em seus resultados de busca.

Milorad Trkulja, 62 anos, alegava que o site de buscas danificou sua reputação ao recusar-se a remover imagens e links que supostamente davam a entender que ele era criminoso.

Trkulja é um imigrante iugoslavo que se mudou para a Austrália nos anos 1970. Em 2004, ele levou um tiro nas costas - crime que nunca foi resolvido e que especulou-se, sem comprovação, que poderia ter ligação com disputas entre criminosos.

Depois disso, Trkulja diz que, ao colocar seu nome no Google Images, os resultados traziam imagens de supostos assassinos e traficantes de drogas. E a uma foto do próprio Trkulja trazia a legenda "Melbourne crime". Ele diz que isso leva as pessoas a pensar que ele é criminoso e alega ter sido vítima de represálias.

Ele já havia vencido um processo semelhante contra o Yahoo!.

O Google não comentou a decisão, e ainda cabe recurso. Ainda não foi decidida a compensação a que Trkulja terá direito.

Em declarações prévias, o Google argumentou que os resultados de sua busca são automáticos e que a empresa não é responsável pelas publicações.

O júri do caso concordou com o argumento, mas alegou que o Google deveria ter agido após receber a queixa de Trkulja.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.