Mais três quenianos são presos acusados de matar embaixadora da Venezuela

Atualizado em  2 de novembro, 2012 - 14:24 (Brasília) 16:24 GMT

A polícia do Quênia prendeu nesta sexta-feira três novos suspeitos de origem queniana acusados de envolvimento na morte da embaixadora da Venezuela no país, Olga Fonseca.

A diplomata foi enforcada em sua residência oficial em julho deste ano.

Um total de seis pessoas, incluindo o diplomata venezuelano Dwight Sagaray, primeiro-secretário da missão, foi acusado pelo assassinato até o momento.

Segaray está sob custódia desde que sua imunidade diplomática foi revogada.

Fonseca tornou-se embaixadora da Venezuela no Quênia após o antigo embaixador abandonar o cargo. Ele foi acusado de cometer crimes sexuais contra seus empregados.

Funcionários do governo do Quênia afirmaram que os empregados se queixaram por terem sido despedidos por Fonseca depois que eles se negaram a retirar as acusações contra seu antecessor.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.