Só 6,2% dos municípios tinham em 2011 plano de riscos ambientais, diz IBGE

Atualizado em  13 de novembro, 2012 - 12:49 (Brasília) 14:49 GMT

Dos 5.565 municípios brasileiros, apenas 344 (o equivalente a 6,2%) tinham em 2011 planos municipais de resposta a riscos ambientais e geológicos, informa o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) nesta terça-feira.

O plano é um mapeamento dos riscos de desastres naturais nos municípios, bem como as iniciativas propostas para preveni-los ou enfrentá-los. Cerca de 564 municípios (10% do total) disseram em 2011 que estavam elaborando tal plano.

Uma proporção mais elevada de municípios (32,5%, ou 1.812) declarou realizar algum tipo de programa ou ação de gerenciamento de riscos de deslizamento e recuperação ambiental de caráter preventivo (por exemplo, drenagem urbana, recuperação de várzeas, renaturalização de rios e córregos, construção de muros de proteção e diques).

Os dados fazem parte da Pesquisa de Informações Básicas Municipais – Perfil dos Municípios (Munic) de 2011, que pela primeira vez investigou o tema.

Segundo a pesquisadora Vania Pacheco, a pesquisa do IBGE não avaliou o conteúdo dos planos, apenas apontou o número de municípios que "começaram a se preocupar com essa realidade brasileira" (em referência, por exemplo, à ocorrência de enchentes e deslizamentos nas épocas de chuvas).

Também pela primeira vez, a Munic investigou a infraestrutura de saneamento nos municípios brasileiros. Só 28,2% (1.569) deles possuíam uma Política Municipal de Saneamento Básico, e 47,8% (2.659) deixavam de fiscalizar a qualidade da água. Também verificou-se que em 42,7% (2.376) dos municípios não havia programa de coleta seletiva.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.