Governo anuncia menor desmatamento da Amazônia desde 1988

Atualizado em  27 de novembro, 2012 - 13:06 (Brasília) 15:06 GMT

Ambientalistas temem que novo Código Florestal possa aumentar desmatamento; governo discorda

O governo federal anunciou nesta terça-feira uma redução de 27% no ritmo do desmatamento da Amazônia entre agosto de 2011 e julho deste ano em comparação com os 12 meses anteriores.

Segundo a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, trata-se da menor taxa de desmatamento já registrada desde que o governo passou a monitorar a destruição da Amazônia, em 1988.

No último ano, foram derrubados 4.656 quilômetros quadrados de floresta. A medição ocorreu antes da alteração do Código Florestal, em outubro. Ambientalistas temem que a nova lei possa aumentar o desmatamento nos próximos anos, opinião contestada pelo governo.

Segundo Teixeira, o resultado obtido na última medição deixa o governo mais próximo da meta de reduzir o desmatamento para 3.925 quilômetros quadrados ao ano em 2020.

Entre 1996 e 2005, o desmatamento na Amazônia alcançava cifras médias de 19,6 mil quilômetros quadrados ao ano. Calcula-se que a Floresta Amazônica ocupe cerca de 4 milhões de quilômetros quadrados do Brasil, metade do território do país.

Apesar da redução do ritmo do desmatamento no país, alguns Estados tiveram trajetória inversa, como Acre (aumento de 10%), Amazonas (29%) e Tocantins (33%).

"Lamentavelmente, percebemos em Estados que não tinham performace agressiva de desmatamento um sinal de que ele está aumentando", disse Teixeira.

A ministra celebrou, no entanto, a redução na taxa de desmatamento nos dois Estados que tradicionalmente mais derrubam a floresta: Mato Grosso (31%) e Pará (44%).

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.