Médico que ajudou a capturar Bin Laden estaria em greve de fome

Atualizado em  29 de novembro, 2012 - 09:52 (Brasília) 11:52 GMT

O médico paquistanês que ajudou a agência de inteligência americana a encontrar o líder da Al-Qaeda, Osama bin Laden, teria iniciado nesta semana uma greve de fome para protestar contra o modo como está sendo tratado na prisão, segundo seus carcereiros.

Shakil Afridi foi condenado em maio a 33 anos de prisão por suas ligações com um grupo militante banido no Paquistão.

A decisão, porém, foi denunciada por pessoas próximas ao médico como uma punição por ele ter ajudado a CIA a capturar Bin Laden.

Afridi está preso na cidade de Peshawar. Segundo funcionários da prisão, que falaram sob condição de anonimato, ele estaria sendo mantido em confinamento solitário, sem direito a receber visitas nem falar ao telefone.

A captura de Bin Laden no Paquistão ajudou a deteriorar as relações entre Washington e Islamabad. Autoridades dos EUA, chegaram a qualificar Afridi como um "herói".

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.