Imprensa dos EUA diz que atirador matou mãe antes de massacre

Atualizado em  15 de dezembro, 2012 - 00:39 (Brasília) 02:39 GMT

A imprensa dos Estados Unidos afirmou na noite de sexta-feira que o atirador que matou 26 pessoas na escola infantil Sandy Hook, nos Estados Unidos, assassinou a própria mãe, na casa dela, antes de cometer o massacre.

O criminoso, identificado pela mídia local como Adam Lanza, teria matado sua mãe, Nancy, em casa. Ela era professora do jardim de infância na escola Sandy Hook e os dois morariam juntos.

Adam teria então pego armas - duas pistolas e um fuzil - registradas em nome de sua mãe, segundo a NBC News. Com o carro dela, dirigiu até a escola.

Autoridades tentam descobrir como ele entrou no estabelecimento, que havia instalado recentemente um novo sistema de segurança.

Lá teria discutido com um diretor e um psicólogo e atirado nos dois.

Segundo a polícia, ele matou ao todo seis adultos e 20 crianças com idades entre 5 e 10 anos.

Um policial disse à Associated Press que o atirador tinha um distúrbio de personalidade.

Vigília

O massacre deu início a uma manifestação em Washington contra a facilidade de comprar armamentos nos Estados Unidos - inclusive fuzis de assalto.

Na igreja da cidade onde ocorreu o crime, Newtown, moradores se reuniram na noite de sexta-feira para uma vigília.

Mais cedo, o presidente Barack Obama lamentou as mortes em pronunciamento em rede nacional de TV.

De Londres, a rainha Elizabeth 2ª comunicou a Obama estar "profundamente chocada e entristecida" com "a terrível perda de vidas" em Connecticut.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.