Resultado de referendo constitucional é adiado no Egito

Atualizado em  24 de dezembro, 2012 - 19:53 (Brasília) 21:53 GMT

Após denúncias de fraudes, a divulgação dos resultados do referendo sobre a polêmica nova Constituição egípcia foi adiada para esta terça-feira, informam autoridades do país.

O anúncio com o resultado final era esperado para esta segunda-feira, mas as supostas fraudes ainda estão sendo investigadas.

O documento, que é apoiado pelo atual presidente Mohammed Morsi e que é criticado pela população, deve ser aprovado com mais de 60% dos votos, indicam pesquisas prévias.

Em caso de aprovação, a nova Carta Magna ordena a realização de novas eleições em dois meses, o que deve aumentar a profunda polarização política do país, indica a analista da BBC Bethany Bell.

O comparecimento foi estimado em 30% dos votantes em um total de cerca de 25 milhões de egípcios aptos a votar.

Mas, a Frente de Salvação Nacional, principal grupo opositor, pediu que a comissão eleitoral do país investigasse "irregularidades" no referendo que, de acordo com os opositores, foi marcado por "fraudes e violações".

Entre os problemas apontados pelo grupo estão zonas eleitorais abrindo muito tarde e islamistas tentando influenciar os eleitores.

Os críticos da proposta de Constituição dizem que o documento, que gerou fortes protestos populares, trai os ideais das revolução que derrubou o ex-presidente Hosni Mubarak, no início do ano passado.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.