Após tensão bilateral, Egito manda enviados aos Emirados Árabes

Atualizado em  2 de janeiro, 2013 - 20:26 (Brasília) 22:26 GMT

Dois assessores do presidente do Egito, Mohamed Morsi, viajaram aos Emirados Árabes Unidos nesta quarta-feira depois que 11 egípcios foram presos sob a acusação de tentar organizar no país uma célula da Irmandade Muçulmana.

Eles foram detidos no mês passado porque a atuação de partidos e grupos políticos é proibida nos Emirados Árabes.

Os acusados estavam recrutando seguidores e já haviam mandado grande quantidade de dinheiro à organização no Cairo.

Os enviados egípcios devem entregar uma mensagem de Morsi para o mandatário do país, o sheik Khalifa al-Nehayan.

Morsi foi eleito com forte apoio da Irmandade Muçulmana.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.