Ignorar Constituição venezuelana é 'inaceitável', diz igreja

Atualizado em  7 de janeiro, 2013 - 17:42 (Brasília) 19:42 GMT

A Igreja Católica da Venezuela disse nesta segunda-feira que seria "moralmente inaceitável" ignorar a Constituição do país para permitir que o presidente Hugo Chávez permaneça no poder caso não possa comparecer a sua posse, em 10 de janeiro.

O líder da Conferência Episcopal do país, Diego Padrón, disse que a Constituição é clara ao determinar que o presidente deva comparecer à posse, "ou a eleição (realizada em) 7 de outubro não terá tido sentido".

"Não é nossa função intervir publicamente, mas neste caso o bem do país e a defesa da ética está a perigo. Alterar a Constituição para um objetivo político é moralmente inaceitável", afirmou, criticando também a falta de notícias a respeito do estado de saúde de Chávez.

O presidente, que foi reeleito para um quarto mandato, está em Cuba se recuperando de uma quarta cirurgia contra um câncer, e seu estado de saúde é tido como debilitado por conta de uma infecção pulmonar.

A procuradora-geral da Venezuela, Cilia Flores, afirmou que a posse do presidente pode ocorrer em uma data posterior. "Chávez é um presidente reeleito, não um candidato eleito", disse ela.

E o vice-presidente, Nicolás Maduro, afirmou que a posse é uma mera "formalidade", já que Chávez pode ser juramentado pela Corte Suprema mais tarde.

Já a oposição afirma que novas eleições devem ser convocadas em 30 dias caso Chávez não possa assumir.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.