Grupo marxista reivindica ataque a embaixada dos EUA na Turquia

Atualizado em  2 de fevereiro, 2013 - 14:45 (Brasília) 16:45 GMT

O grupo de extrema-esquerda turco Partido da Frente Revolucionária Popular (DHKP-C) reivindicou a autoria do atentado suicida realizado contra a embaixada dos Estados Unidos na capital da Turquia, Ancara, na sexta-feira.

O grupo disse ter realizado o ''ato de auto-sacrifício'' contra a representação dos Estados Unidos, a quem acusou de ser ''um assassino de povos de todo o mundo''.

Durante o ataque, o homem-bomba e um guarda foram mortos em uma entrada lateral do complexo fortemente vigiado.

O governo dos Estados Unidos aconselhou seus cidadãos a não visitarem representações diplomáticas na Turquia até aviso em contrário.

Em um comunicado, o DHK-P afirmou: ''Nosso guerreiro Alisan Santi realizou o ato de auto-sacrifício no dia 1 de fevereiro de 2013, ao entrar na embaixada em Ancara dos Estados Unidos, assassino de povos de todo o mundo''.

O grupo foi formado em 1978 e é uma dissidência de uma organização marxista maior. Seu objetivo é instalar um governo de orientação marxista na Turquia.

O governo atribui ao DHK-P uma série de ataques nos últimos anos que mataram dezenas de policiais e soldados. O grupo teria adotado táticas semelhantes às da rede Al-Qaeda.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.