Ambientalistas acusam Google de promover venda de produtos de espécies ameaçadas

Atualizado em  5 de março, 2013 - 12:10 (Brasília) 15:10 GMT

Um grupo de ambientalistas acusou a gigante de buscas Google de promover a venda de produtos fabricados com matéria-prima de espécies ameaçadas como elefantes e baleias.

A Agência de Investigação Ambiental, com base em Washington, afirmou que o Google não respondeu a um pedido feito em fevereiro para retirar milhares de propagandas destes produtos de seu site de compras japonês.

Os ambientalistas afirmam que o Google não está aplicando suas próprias políticas para proteção da vida selvagem.

Em uma declaração, a gigante de buscas afirmou que retira todos os anúncios assim que eles são detectados.

A denúncia dos ambientalistas americanos foi feita em um momento em que mais de 170 países estão reunidos em Bangcoc para discutir formas de combater o comércio ilegal de espécies ameaçadas.

Especialistas afirmam que o comércio ilegal de marfim causou um aumento alarmante das mortes de elefantes nos últimos anos.

Tópicos relacionados

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.