Após 12 dias, bancos reabrem no Chipre sob forte segurança

Caixa eletrônico no Chipre. Getty
Image caption Correntistas poderão sacar apenas 300 euros diários

Após 12 dias fechados em meio à crise financeira, os bancos do Chipre reabrem nesta quinta-feira sob forte esquema de segurança.

As operações bancárias foram suspensas durante a negociação de um pacote de resgate da economia cipriota com a chamada "tróica" (a Comissão Europeia, o Banco Central Europeu e o Fundo Monetário Internacional).

O Chipre é o quinto país da zona do euro a ser socorrido, mas é o único país onde os correntistas tiveram parte de seus depósitos controlados e taxados.

Os depósitos superiores a100 mil euros ficarão congelados. Os correntistas poderão perder até 40% do dinheiro aplicado com a nova taxação, parte das medidas de austeridade pedidas pelas tróica.

Para evitar uma corrida bancária e uma fuga de capitais, as autoridades do Chipre restringiram os saques diários de cada correntista a 300 euros nestes primeiros dias.

Os cipriotas também não poderão sacar cheques nem usar mais que 5 mil euros mensais em seus cartões de débito ou crédito.

O ministro das Finanças do Chipre, Michalis Sarris, disse que o controle é temporário, mas muitos analistas esperam que dure por meses.

A crise no Chipre tem motivado vários protestos na capital, Nicósia.

Notícias relacionadas