Mercado perde 25 mil empregados domésticos em fevereiro

Novos dados divulgados nesta quinta-feira pela PME (Pesquisa Mensal de Emprego) do IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística) revelam que 25 mil trabalhadores domésticos deixaram a atividade em fevereiro.

O resultado confirma a tendência verificada nos últimos 12 meses, quando 133 mil pessoas abandonaram a atividade.

No período, o salário da categoria teve aumento de 7%. Em fevereiro, o salário foi de R$ 768,70.

Na terça-feira, o Senado aprovou uma lei que estende aos empregados domésticos todos os diretos dos demais trabalhadores regidos pela CLT (Consolidação das Leis do Trabalho).

As novas regras garantirão aos empregados que trabalham em domicílios jornada máxima de oito horas diárias e 44 horas semanais, com direito a pagamento de horas extras e adicional noturno, entre outros direitos.

Dos 6,6 milhões de trabalhadores domésticos no Brasil, 92,6% são mulheres.