Síria nega participação em atentado que matou 46 na Turquia

  • 12 maio 2013

O premiê da Turquia, Recep Tayyip Erdogan, afirmou neste domingo que os atentados a bomba que mataram 46 pessoas em uma cidade turca na fronteira com a Síria foi feito com a intenção de arrastar o país à guerra civil síria.

Ele instou os turcos a se manterem "cautelosos e vigilantes" ante o que chamou de "provocações".

Integrantes do governo turco atribuíram os ataques - perpetrados em Rehanyli, uma cidade que tem recebido grande quantidade de refugiados sírios - a grupos pró-Damasco.

Mas a Síria negou estar por trás dos ataques. O ministro da Informação sírio, Omar al-Zoubi, afirmou que o governo de Erdogan é "diretamente responsável" pelo ocorrido, por ter deixado que sua fronteira virasse "um centro para terrorismo internacional".

Neste domingo, centenas de pessoas compareceram aos funerais das vítimas.

A Turquia diz que nove pessoas - todas turcas - foram presas em conexão com o caso.