A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Após oito décadas, chinesa assume transexualidade

Qian Jinfan nasceu homem, na China, mas só depois dos 80 anos de idade é que resolveu viver como mulher e assumir sua nova identidade: Yi Ling.

Em entrevista à BBC, Yi Ling deu relatos sobre as oito décadas em que viveu como homem e passou pela história turbulenta do país.

Direito de imagem BBC World Service
Image caption Yi Ling diz ser grata por viver em um tempo de rápido desenvolvimento social na China (BBC)

"Eu sabia desde muito jovem. Mesmo aos três anos eu sentia que eu deveria ter nascido mulher", disse Yi Ling.

A decisão para assumir o sexo feminino foi tomada há três anos e agora Yi Ling é chamada de a transexual mais velha da China.

Ling chegou a tomar hormônios, no passado, para aumentar os seios. Mas agora ela parou de tomá-los e desistiu da operação de troca de sexo.

Ela mostrou fotos antigas, de quando era o jovem Qian Jinfan, um funcionário público.

Ainda vivendo como homem, aos 54 anos, decidiu se casar com uma mulher mais jovem e teve um filho.

Qian Jinfan exerceu a função de funcionário público nos anos 60 e 70, durante a Revolução Cultural, uma época de repressão no país. E, como muitos, foi preso e investigado pelas autoridades.

No entanto, Yi Ling conta que, apesar de ser impossível mudar de gênero naquela época, ela guarda boas lembranças.

Durante a Revolução Cultural homens e mulheres se vestiam com roupas iguais e ela se sentia mais próxima do que queria ser. Sem que os colegas soubessem, ela usava um sutiã debaixo das roupas.

A homossexualidade só foi descriminalizada na China em 1997 e o país agora permite que transexuais oficialmente troquem de sexo

A decisão de Yi Ling de mudar de gênero gerou manchetes e a maior parte da cobertura foi positiva.

Os ex-chefes foram compreensivos e ela recebe a aposentadoria e outros benefícios normalmente.