Presidente do PT diz que partido será 'solidário' a punidos no mensalão

Atualizado em  12 de novembro, 2012 - 18:06 (Brasília) 20:06 GMT

Player

Em entrevista prévia à definição das penas, Rui Falcão repete a tese do partido de que houve caixa dois, e não corrupção, e diz que réus 'lançarão mão de todos os recursos para provar inocência'.

Assistirmp4

Para executar este conteúdo em Java você precisa estar sintonizado e ter a última versão do Flash player instalada em seu computador.

Formatos alternativos

O PT será "solidário" aos membros do partido condenados na ação penal 470, o mensalão, disse o presidente da legenda, Rui Falcão.

Em conversa com a BBC Brasil pouco antes do segundo turno das eleições municipais – e antes, portanto, da definição das penas aos réus do mensalão -, Falcão disse que o partido respeita a decisão do Supremo.

"Como o Supremo é um dos poderes da República, sua decisão prevalece. O que não significa que concordamos com ela", disse o deputado estadual em seu gabinete em São Paulo.

"Os filiados do PT que foram condenados ainda têm recursos a utilizar e vão lançar mão de todos os meios para provar a sua inocência. E nós vamos estar solidários com eles."

Nesta segunda-feira, o ex-ministro do governo Lula José Dirceu foi condenado a dez anos e dez meses de prisão pelo Supremo; José Genoíno, ex-presidente do PT, foi condenado a 6 anos e 11 meses.

Rui Falcão

Rui Falcão diz que ambiente pode ser favorável à aprovação de pontos da reforma política

Falcão manteve a defesa de que o partido praticou caixa dois, e não corrupção.

"O que ocorreu no caso do PT e não foi o único - o que não justifica - é que com doações privadas, sem haver sanção - ou no máximo crime eleitoral - as pessoas não contabilizam todos os recursos, porque o doador não quer aparecer ou o partido não faz a declaração do que recebeu", justificou.

Reforma política

Questionado se o julgamento do mensalão trará mudanças na forma como se faz política, o presidente do PT disse que, "se não houver hipocrisia", o ambiente será favorável à votação de pontos da reforma política, como o financiamento público de campanha.

Quanto a outros casos de denúncias de mensalão, Falcão disse que o partido não tem "intenção de vingança", mas que "todas as irregularidades têm de ser julgadas". Agregou que "o mensalão tucano já caminha para a prescrição".

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.