Pesquisadores descobrem 126 novas espécies no Sudeste Asiático

Atualizado em  20 de dezembro, 2012 - 11:30 (Brasília) 13:30 GMT
  • WWF/John Varigos
    Um relatório recém-divulgado pela ONG WWF aponta que 126 novas espécies foram identificadas na região do Grande Mekong, no Sudeste Asiático, que engloba Camboja, Laos, Mianmar, Tailândia, Vietnã e um pedaço da China. Entre as novas espécies estão 82 plantas, 13 peixes, 21 répteis, 5 anfíbios e 5 mamíferos. (Foto: Coelogyne pachystachya - Crédito: John Varigos)
  • WWF/Peter Paul Van Djick/Darwin Initiative
    Uma das descobertas é esta víbora de olhos vermelhos (Trimeresurus rubeus), encontrada em florestas perto de Ho Chi Minh, no Vietnã. (Foto: Peter Paul Van Djick/Darwin Initiative)
  • WWF/Jodi JL Rowley
    Foram encontrados anfíbios com uma "impressionante variedade de cores de olhos", diz a WWF. Este Leptobrachium leucops, por exemplo, tem olhos brancos e negros. (Foto: Jodi JL Rowley)
  • WWF/Peter Maguire
    Entre os peixes, um dos destaques é o pequeno Boraras naevus, de 2 cm de comprimento, descoberto no sul da Tailândia. (Foto: Peter Maguire)
  • WWF/Jodi JL Rowley
    "Ainda que essas descobertas (datadas de 2011) reforcem o Mekong como uma região de biodiversidade incrível, muitas dessas novas espécies já estão lutando para conseguir sobreviver em habitats que estão encolhendo", afirma Nick Cox, diretor da WWF na região. (Foto: Gracixalus quang; crédito: Jodi JL Rowley)
  • WWF/Helmut Steiner
    Aqui, um peixe rosado da família das carpas foi encontrado em um afluente do rio Mekong no centro de Laos. O Bangana musaei é totalmente cego, o que o deixa mais vulnerável a predadores. (Foto: Helmut Steiner)
  • WWF/Gábor Csorba
    Este morcego foi batizado de Murina beelzebub por causa de sua aparência "maligna", diz a ONG. "Ele depende das florestas tropicais para sobreviver e é especialmente vulnerável ao desmatamento", segundo comunicado da WWF. (Foto: Gábor Csorba)
  • WWF/Michael Cota
    A ONG aponta que, em 40 anos, 30% das florestas do Grande Mekong desapareceram. "A caça ilegal é um dos maiores desafios para a sobrevivência de muitas das espécies no Sudeste da Ásia", acrescenta Cox. (Foto: Larutia nubisilvicola; crédito: Michael Cota)

Novas espécies

Pesquisadores identificaram 126 espécies animais e vegetais até então desconhecidas no Sudeste da Ásia, na região conhecida como Grande Mekong (que engloba Camboja, Laos, Mianmar, Tailândia, Vietnã e um pedaço da China), informa um relatório recém-divulgado pela ONG WWF.

Entre as novas espécies encontradas estão um morcego vietnamita batizado de Murina beelzebub por causa de "sua aparência maligna", um peixe cego, um sapo que canta como um pássaro e uma víbora de olhos vermelhos.

"Ainda que essas descobertas (datadas de 2011) reforcem o Mekong como uma região de biodiversidade incrível, muitas dessas novas espécies já estão lutando para conseguir sobreviver em habitats que estão encolhendo", afirma Nick Cox, diretor da WWF na região.

Desde 1997, mais de 1,7 mil espécies foram identificadas pelos cientistas na região. Segundo Cox, o rio Mekong, que atravessa a área pesquisada, "contém biodiversidade aquática que só perde para o rio Amazonas".

"A caça ilegal é um dos maiores desafios para a sobrevivência de muitas das espécies no sudeste da Ásia", acrescenta o diretor da WWF.

BBC © 2014 A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo de sites externos.

Esta página é melhor visualizada em um navegador atualizado e que permita o uso de linguagens de estilo (CSS). Com seu navegador atual, embora você seja capaz de ver o conteúdo da página, não poderá enxergar todos os recursos que ela apresenta. Sugerimos que você instale um navegados mais atualizado, compatível com a tecnologia.