A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Governos de Thatcher dividiram Grã-Bretanha e seu próprio partido

Margaret Thatcher, morta na manhã desta segunda-feira, aos 87 anos, foi a primeira mulher a ocupar o posto de premiê no Reino Unido. Permaneceu no cargo de 1979 a 1990, pelo Partido Conservador.

Ela chegou ao poder em meio a uma grande crise econômica, enfrentando greves e protestos em toda a Grã-Bretanha.

Image caption Políticas de Thatcher dividiram o país e os conservadores

Suas políticas e medidas polêmicas dividiram a população e não eram unanimidade nem em seu partido.

A primeira-ministra considerava que sindicatos fortes eram o inimigo número um e aprovou leis contra essas agremiações. Estas medidas, junto com o crescente desemprego, dividiram seu gabinete de governo.

Em 1982, Thatcher enviou os militares britânicos para retomar as ilhas Malvinas, ou Falklands, para os britânicos. Centenas de vidas foram perdidas, mas a vitória britânica na polêmica guerra no sul do Atlântico garantiu uma vitória esmagadora para Thatcher nas eleições seguintes.

Na política externa, ela se alinhou a Ronald Reagan, permitindo que mísseis americanos fossem colocados em território britânico, e cortejou líder soviético Mikhail Gorbachev, cujas políticas abriram caminho para o fim da União Soviética.

Em 1984, ela sobreviveu a um ataque do IRA (Exército Republicano Irlandês), que explodiu uma bomba na conferência do Partido Conservador em Brighton, deixando quatro mortos e dezenas de feridos.

Thatcher conquistou seu terceiro mandato em 1987, mas a onda de privatizações e sua rejeição à possibilidade de aumento de poder da comunidade europeia tornaram sua permanência no cargo insustentável. Ela renunciou ao cargo em 1990.