A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Jornalista britânico relata suposto ataque com armas químicas na Síria

Um repórter do jornal britânico The Times teve acesso a imagens gravadas por médicos na Síria que supostamente mostram vitimas de um ataque com armas químicas.

O video não pôde ser verificado de forma independente, mas segundo o jornalista Anthony Lloyd, há sinais claros de que eles foram vítimas do gás sarin.

Image caption Vídeo gravado por médicos mostra supostas vítimas de ataque com armas químicas na Síria

Ele explica que o grupo de pacientes chegou a um hospital de Aleppo no início de abril sem marcas de ferimentos causados por bombas ou tiros.

Eles estavam espumando pela boca, tinham as pupilas dilatadas e estavam se contorcendo, o que segundo o repórter seriam efeitos do gás.

O jornalista conversou com um programa da BBC e disse que cinco pessoas foram atingidas no ataque, e dessas, três morreram e duas foram salvas.

Doze profissionais, entre eles médicos, motoristas e socorristas, também tiveram que ser tratados, simplesmente por terem tocado nas vítimas.

O gás sarin é inodoro e incolor e atinge o sistema nervoso, causando convulsões, paralisia e podendo matar rapidamente, explica Lloyd.

Se confirmado, o ataque poderia elevar as discussões da comunidade internacional sobre a possibilidade de uma intervenção militar no país, onde segundo a ONU mais de 70 mil pessoas morreram em mais de dois anos de guerra civil.