Fotógrafa registra vida de exótica comunidade afro-indiana

Os sidis

A pequena comunidade sidi, de indianos de ascendência africana, é o tema de uma série de imagens da fotógrafa Ketaki Sheth.

Estima-se que entre 60 mil e 70 mil sidis vivam nos estados de Gujarat (oeste da Índia) e Karnataka. Há também alguns membros dessa comunidade em Goa, Mumbai e Hyderabad.

"Exceto por sua dança e por alguns rituais de exorcismo, que têm raízes na África, eles são indianos na língua, nos costumes, nas roupas, na comida e no temperamento", diz a fotógrafa, que reuniu as fotos no livro A Certain Grace: The Sidi - Indians of African Descent.

Seus ancestrais eram, segundo historiadores, escravos, soldados, coemrciantes, caçadores de pérolas e peregrinos muçulmanos que foram à Índia ao longo de séculos.

O historiador Mahmood Mamdani diz que a maioria dos sidis são descendentes de escravos levados pelos portugueses da costa leste da África, sobretudo Moçambique.