A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Após polêmica, palco da abertura da Copa tem desafio de cumprir prazo

Image caption Cerca de 80% das obras do Itaquerão já estão concluídas, diz Odebrecht

Após atrasos e polêmicas, a entrega à Fifa do estádio que sediará a abertura da Copa do Mundo de 2014 - o Arena Corinthians, ou Itaquerão – ocorrerá no dia 31 de dezembro deste ano.

No entanto, cresce a preocupação de que o prazo oficial não seja cumprido.

Com a aproximação da reta final, operários correm contra o tempo para terminar a instalação da infraestrutura do estádio, como a cobertura metálica e os acabamentos.

"Houve algum tipo de mal-entendido durante as entrevistas, mas está tudo acordado e existe um comprometimento de entregar o estádio em dezembro de 2013", disse à BBC Brasil Frederico Barbosa, engenheiro-chefe da Odebrecht responsável pelas obras.

A Odebrecht foi contratada pelo Corinthians para construir o Itaquerão por estimados R$ 820 milhões. Segundo a empreiteira, cerca de 80% das obras, que começaram em maio de 2011, já estão concluídas.

'Mal-entendido'

O 'mal-entendido' citado por Barbosa está relacionado à polêmica sobre uma mudança no calendário oficial de entrega do estádio.

No mês passado, o Corinthians divulgou um comunicado em que criticava uma declaração do secretário-geral da Fifa, Jerome Valcke, sobre os atrasos nas obras. Na ocasião, Valcke havia ameaçado tirar o Itaquerão da Copa, caso a arena não fosse concluída até 31 de dezembro deste ano.

Mas, segundo o clube, ainda que a entidade esportiva tivesse estabelecido a data como limite para a entrega dos estádios das 12 cidades-sede da Copa do Mundo, o próprio Valcke teria estendido o prazo para fevereiro de 2014, no caso do Itaquerão.

A alteração no cronograma estaria relacionada, entre outros fatores, à capacidade do estádio.

Com lotação máxima para 48 mil pessoas, o Itaquerão precisará incorporar ao projeto original 20 mil lugares temporários para se adequar às regras da Fifa.

Segundo informações de bastidores, os assentos removíveis só seriam instalados após a conclusão do estádio, em dezembro deste ano, o que adiaria o prazo em dois meses.

Mas, após muita confusão, o Corinthians e a Fifa anunciaram recentemente a entrega do estádio para o final deste ano.

Segundo o governo de São Paulo, as cadeiras temporárias serão financiadas por um consórcio de investidores capitaneado por uma empresa privada.