Nova Palestina. Reuters
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Megaocupação em São Paulo reflete deficit habitacional da cidade

Image copyright Reuters
Image caption A área de 1 milhão de m² deveria virar um parque, mas pode se tornar um conjunto habitacional

Em apenas seis semanas, uma pequena cidade foi erguida no extremo sul da capital de São Paulo.

A ocupação Nova Palestina, organizada pelo Movimento dos Trabalhadores Sem-Teto (MTST), tem 8 mil barracos. Segundo a organização, outras 4 mil pessoas estão na fila para conseguir um espaço no local.

A ocupação reflete a falta de moradias na cidade. Segundo a prefeitura, cerca de 700 mil famílias vivem em condições inadequadas no município e precisam de uma casa.

A área de 1 milhão de m², no extremo do Jardim Ângela, é uma propriedade privada. Declarado de utilidade pública, o terreno deveria se tornar um parque, segundo os planos da prefeitura paulistana.

A ocupação, no entanto, pode fazer nascer ali um conjunto habitacional. O porta-voz do movimento, Guilherme Boulos, informou que o MTST está em negociação com os proprietários para a compra da área e uma das possibilidades é construir as moradias a partir do programa Minha Casa Minha Vida Entidades.