Itaquerão | Crédito: Luis Kawaguti/BBC Brasil
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Obras no Itaquerão entram na reta final e empolgam moradores

Acumulando quatro meses de atraso, as obras do Itaquerão, o estádio que sediará a partida de abertura da Copa do Mundo no Brasil, parecem se aproximar do final.

Na quinta-feira, a presidente Dilma Rousseff fez uma visita ao local, considerada uma espécie de inauguração informal do estádio.

Ela visitou algumas das obras e disse que elas vão tornar Itaquera uma região mais rica, com escolas, faculdades e uma ampla rede de transportes.

Do lado de fora do estádio ainda há diversos canteiros de obras, mas as construções de maior porte, como viadutos, já estão prontos.

Já no interior da arena, operários correm para instalar as últimas cadeiras das arquibancadas provisórias.

Elas vão elevar a capacidade total do estádio de 48 mil lugares para quase 70 mil.

Além da construção de estruturas provisórias, também está atrasada a montagem dos telões e do centro de imprensa.

'Futuro melhor'

A presidente veio pessoalmente verificar o andamento das obras nessa fase final.

Ela cumprimentou trabalhadores e até recebeu presentes.

Mas visita presidencial e a etapa final das obras não empolgam só os operários. Moradores da região já sonham com um futuro melhor para a região.

"Vai melhorar muito (...) em termos de emprego, mão de obra, tanto especializada, como renda formal, informal", prevê o contador Antonio José Ferreira.

Para o motorista Alzires André da Silva, "melhorou 100%". "Eu acho que está todo mundo satisfeito. Tem pessoas que não gostam, mas eu mesmo gostei muito", disse.