BBC
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Com mini Copa América pela frente, Brasil corre risco de ver reduzido 'fator casa'

  • 28 junho 2014

O Brasil precisa vencer o Chile, neste sábado, às 13h (de Brasília) para avançar às quartas de final da Copa do Mundo. Na próxima fase, enfrentaria Colômbia ou Uruguai em Fortaleza.

Os confrontos entre sul-americanos farão com que só um destes quatro possa estar na semifinal da Copa do Mundo. O próprio técnico Luiz Felipe Scolari disse que não gostaria de enfrentar seleções sul-americanas na fase de mata-mata, pois, além do fator técnico, há também o fator torcida.

Image caption Visitantes elogiaram hospitalidade dos gaúchos

Na primeira fase, mesmo em minoria, torcedores mexicanos fizeram mais barulho do que os brasileiros no jogo de Fortaleza (empate por 0 a 0), praticamente anulando a vantagem que o Brasil teria por receber o jogo. Os chilenos prometem fazer o mesmo no Mineirão, neste sábado - estima-se a presença de 10 mil torcedores do Chile no estádio, que comporta pouco menos de 60 mil espectadores.

Desde o início da Copa do Mundo, os chilenos promoveram verdadeiras invasões a Cuiabá, Rio de Janeiro e São Paulo. Colombianos também foram presença grande e constante, assim como os argentinos. No jogo da última quarta, entre Argentina e Nigéria, em Porto Alegre, o estádio Beira-Rio tinha praticamente só pessoas com a camisa alviceleste na arquibancada. Autoridades disseram que mais de 100 mil argentinos foram à cidade, a esmagadora sem ingresso e nem mesmo lugar para ficar.

Um hipotético clássico entre Brasil e Argentina só poderia ocorrer na final da Copa do Mundo, no Maracanã.