Foto: Rodrigo Pinto
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

João Gilberto corre nas veias do português António Zambujo

Ao longo desta e da próxima semana, a BBC Brasil apresentará novos artistas da cena musical de Lisboa. O jornalista Rodrigo Pinto foi à capital portuguesa para investigar por que há tanto interesse internacional na música produzida na cidade.

Os artistas destacados ajudaram a renovar e atrair atenção para gêneros como fado, kuduro e até rock’n roll.

Leia mais: BBC apresenta destaques da nova música portuguesa

Leia mais: Após vencer 'The Voice' de Portugal, Sara Tavares larga gospel e volta às origens

Leia mais: Buraka Som Sistema, a ponte entre Luanda e Jean-Claude Van Damme

Leia mais: Bruno Pernadas, o 'alien' da nova música portuguesa

António Zambujo nasceu no Alentejo. Curiosamente, a região tem uma fama parecida com a da Bahia - seus habitantes são tranquilos e, como os baianos, detêm incríveis habilidades musicais.

Assim, talvez não seja coincidência que se perceba na voz de Zambujo influências de dois baianos, João Gilberto e Caetano Veloso. Influências que o cantor português não nega e às quais acrescenta o americano Chet Baker, o fado e o canto polifônico alentejano.

"Foi o conceito estético que escolhi para abordar os poemas", resume ele, que se mudou para Lisboa para ser ator.

Os poemas - as letras - parecem ter grande impacto emocional na forma de Zambujo cantar. Como toda emoção é única, Zambujo é assim um cantor único em seu país.

"Quando canto, passa um filme em minha cabeça, com as histórias que se contam. E muitas vezes me emociono, porque as palavras me emocionam", contou ele após gravar a faixa para a BBC.

Zambujo lança agora Rua da Emenda, seu sexto disco. Mas, para a BBC, escolheu cantar uma canção clássica do cancioneiro português, Foi Deus, com a qual Amália Rodrigues costumava encerrar concertos nos anos 70 - período em que foi dirigida em cena pelo brasileiro Ivon Cury.

Zambujo promete ir ao Brasil ainda no primeiro semestre de 2015.