A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

#SEMANAPASSADO Patente da aspirina, testes nucleares e voos supersônicos

Nesta edição da série #SemanaPassado, os três acontecimentos que ficaram para a história mesclam revolução nas áreas farmacêutica, atômica e aeronáutica:

Em 6 de março de 1899, a farmacêutica Bayer patenteou a Aspirina, o primeiro remédio a ser sintetizado em vez de recolhido em sua forma final da natureza.

A droga era, basicamente, uma conjugação química que cria o ácido acetilsalicílico. A Aspirina também foi também o primeiro medicamente vendido em pastilhas.

No dia 1º de março de 1954, o Atol de Bikini recebeu mais um dos inúmeros testes nucleares feitos pelos Estados Unidos.

Aparentemente era um teste comum, mas a bomba de hidrogênio espalhou poeira radioativa até uma ilha habitada perto dali. Ninguém morreu, mas muitos sobreviventes hoje sofrem com cânceres.

Apelidada de Bravo, a bomba era mil vezes mais forte do que a lançada em Hiroshima e produziu uma nuvem de fumaça em forma de cogumelo com 32 quilômetros de altura.

Em 2 de março de 1969, o primeiro avião supersônico de passageiros, Concorde, fez o seu voo inaugural. Ele era capaz de ultrapassar os 2 mil km/h, quase três vezes a velocidade de um avião comum.

Vinte unidades do Concorde foram produzidas por um consórcio entre a britânica British Aircraft Corporation e a francesa Aérospatiale, até o final dos anos 70, quando o projeto foi abandonado.