'Algumas pessoas me fazem sentir em casa, outras não': senegalesa sustenta família na África trabalhando nas ruas do Rio

A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo
Amina Ngom ganha a vida com artesanato

Amina Ngom veio do Senegal há seis anos para tentar sustentar a família, que ficou em seu país de origem. Muçulmana e separada do marido, ela ganha a vida trabalhando como vendedora nas ruas do Rio. Agora, pretende trazer os filhos para o Brasil.

Nos últimos anos, Amina tem mantido a família no Senegal - um casal de filhos, mãe e sobrinhos - com a venda de artesanato africano.

Direito de imagem BBC Brasil
Image caption Amina Ngom vende artesanato africano nas ruas do Rio

Recentemente, tentou alugar uma banca de jornal vazia e montar uma loja. Mas ela conta que o dono, ao saber do novo propósito do local, retirou os produtos de lá.

"Ele disse: 'aqui não é África para vender seu artesanato africano'. Mesmo com eu pagando, ele tirou minhas coisas de lá", diz Amina, que continua instalada na calçada ao lado da banca.

Direito de imagem BBC Brasil
Image caption Ela conta ter sido expulsa de banca que tinha alugado para transformar em loja
Direito de imagem BBC Brasil
Image caption Amina sustenta sua família no Senegal com o dinheiro obtido no Rio

A história de Amina faz parte da série #Olhares, na qual a BBC Brasil traz depoimentos de estrangeiros sobre o Brasil. Os vídeos serão publicados ao longo dos Jogos Olímpicos.

No próximo episódio, o maestro americano que comanda a Orquestra Sinfônica Nacional pede que o Brasil exporte mais música, para além de Tom Jobim e Heitor Villa-Lobos.

Tópicos relacionados

Notícias relacionadas