Brasil supera melhor desempenho em Olimpíadas, mas ainda está longe da meta

Dupla Alison (esq) e Bruno Direito de imagem EPA
Image caption Com a 5ª medalha de ouro, Brasil iguala desempenho de Atenas

Com a quinta medalha de ouro conquistada na madrugada desta sexta-feira, o Brasil já supera na Rio 2016 o seu melhor desempenho em Olimpíadas.

Porém, ainda está longe de alcançar a sua própria meta, que era ficar entre os dez primeiros países do quadro de medalha.

Sob forte chuva, a dupla Alison e Bruno bateu seus rivais italianos e garantiu o quinto ouro para o Brasil nos Jogos.

Mais cedo, Martine Grael e Kahena Kunze fizeram história ao conquistar uma medalha de ouro na vela - na classe 49er FX- o primeiro prêmio feminino brasileiro do esporte na história das Olimpíadas.

Com os bons resultados do 13º dia dos Jogos, o Time Brasil de 2016 iguala os ouros conquistados em Atenas 2004 - porém, naquelas Olimpíadas o total de medalhas brasileiros era de dez, enquanto nesta edição o total já chega a 15 (5 ouros, 5 pratas e 5 bronzes).

A quinta medalha de ouro de Atenas 2004 só foi entregue um ano depois, após a confirmação do doping do cavalo do irlandês Cian O'Connor. O ginete Rodrigo Pessoa, que ganhara a prata na competição, foi assim alçado ao topo do pódio.

Direito de imagem COB/Reprodução

Os países são listados no quadro de medalhas pela quantidade de medalhas de ouro que obtêm.

Em Londres 2012, o Brasil levou 17 medalhas, porém apenas três de ouro.

Até o fim destes Jogos, o país vai elevar o seu número total de medalhas: o futebol masculino já garantiu a prata, por exemplo - vai jogar a final contra a Alemanha no sábado.

Meta

Porém, o Time Brasil está distante da meta de terminar os Jogos entre os dez primeiros - o que seria um feito inédito para o país.

O Brasil encontra-se atualmente na 13ª posição do ranking da Rio 2016. Em décimo colocado está a Austrália, com sete ouros e 27 premiações no total.

A meta foi parte de um plano, lançado um mês após os Jogos de Londres 2012, que previa "um novo patamar de investimentos no esporte visando a preparação de nossos atletas olímpicos e paraolímpicos para os Jogos Rio 2016", segundo a descrição oficial.

Anunciado pelo governo de Dilma Rousseff, o plano prometia R$ 1 bilhão em recursos adicionais entre 2013 e 2016, a construção de centros de treinamento e a instituição de programas como o Bolsa Pódio.

O plano também estabeleceu o objetivo de colocar o Brasil entre os cinco primeiros colocados nos Jogos Paralímpicos, que serão disputados em setembro. Se for bem sucedido, o resultado será igualmente inédito.

Tópicos relacionados