Ministro da Cultura minimiza polêmica sobre 'O Mecanismo': 'Não é documentário'
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

Ministro da Cultura minimiza polêmica sobre 'O Mecanismo': 'Não é documentário'

A polêmica em torno da série ‘O Mecanismo’, exibida pela Netflix, "só serviu para divulgá-la ainda mais atrair mais público para ela, o que, em última instância, me parece positivo", disse o ministro da Cultura, Sérgio Sá Leitão, em entrevista à BBC Brasil.

Para ele, a obra de ficção reflete a “excelência do audiovisual brasileiro”.

"Não podemos exigir de um conteúdo ficcional que ele seja uma reprodução exata da realidade. Senão, seria um documentário, e não uma obra de ficção", ressalva.

"Acho que é uma obra que reflete na minha visão a excelência do audiovisual brasileiro. Tem um valor de produção altíssimo, é uma série muito bem realizada, com ótimas atuações, a fotografia é incrível, direção de arte, a música, tudo tem um nível muito elevado e neste sentido reflete muito o atual momento da produção audiovisual brasileira".

A série, dirigida por José Padilha, responsável pela franquia 'Tropa de Elite', vem causando polêmica por retratar eventos reais da Operação Lava Jato, realizada pela Polícia Federal.

Questionado se acredita que a obra possa manipular a opinião pública, Sá Leitão diz que isso é “subestimar a inteligência das pessoas”.

"As pessoas são submetidas a uma série de estímulos e influências o dia todo: o que elas leem nos jornais, ouvem no rádio, veem na televisão, ficção, realidade, jornalismo... Enfim, não importa. Cada um tem seu senso crítico, seu background educacional. Acho que temos que respeitar a inteligência e autonomia das pessoas. Não vejo como uma série pode influenciar no processo eleitoral".

O ministro também falou sobre a ordem de prisão contra o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

"O que eu vejo é que a democracia, o Estado de Direito, e a Constituição estão funcionando no Brasil, estão se consolidando e acho que cabe a todos nós respeitar as decisões do Judiciário", diz.

"Claro que cada um pode ter sua opinião pessoal, mas temos que respeitar as instituições e as leis e vejo que isso está funcionando. Penso que esse foi um episódio que contribuiu para consolidar a democracia e o Estado de Direito e o império das leis", acrescenta.

Para Sá Leitão, um dos maiores problemas do Brasil é a "impunidade".

"O Brasil é um país onde há centenas, talvez milhares de casos de crimes comprovados que eventualmente até são julgados, mas os criminosos não chegam a ser punidos, porque há tantos embargos, tantas medidas protelatórias, e isso acaba levando à prescrição dos crimes".

"Gosto de viver num país em que criminosos, que tem naturalmente o direito de se defenderem dentro do razoável, são punidos. Acho que isso é uma sensação que faz bem para o país e a sociedade. Temos que, ao contrário, elogiar o fato de a Justiça estar funcionando direito e temos que torcer para que funcione assim em todos os casos".

Reportagem: Nathália Passarinho, da BBC Brasil em Londres.

Tópicos relacionados