O momento em que Lula tenta deixar sindicato, mas é impedido por apoiadores
A reprodução deste formato de vídeo não é compatível com seu dispositivo

O momento em que Lula tenta deixar sindicato, mas é impedido por apoiadores

Depois de discursar diante do Sindicato dos Metalúrgicos do ABC, em São Bernardo do Campo, neste sábado, o ex-presidente Lula tentou deixar o local para se entregar à Polícia Federal (PF), mas foi impedido por militantes.

O ex-presidente estava no local desde a noite quinta-feira, quando teve sua prisão decretada pelo juiz Sérgio Moro, o qual havia determinado que ele deveria se apresentar até às 17h de sexta-feira na sede da PF em Curitiba.

Mas Lula permaneceu no sindicato durante toda a sexta-feira e, na manhã deste sábado, acompanhou ali uma missa em homenagem à sua mulher, Marisa Letícia. Em seguida, no início da tarde, falou ao público presente e anunciou que cumpriria a determinação da Justiça.

Lula chegou a sair do edifício, no fim da tarde, e a entrar em um carro, posicionado em frente a um dos portões do local, mas apoiadores do ex-presidente bloquearam o caminho.

Ele voltou então para dentro do sindicato, onde teve início um impasse. Parte dos manifestantes presentes do lado de fora não queria que ele saísse. Fizeram barricadas com grades em acessos ao edifício. O clima era bastante tenso.

Líderes do PT, como a senadora Gleisi Hoffmann e o ex-ministro Luiz Marinho, subiram no carro de som em frente ao sindicato para pedir que o público abrisse caminho para o carro de Lula, alertando que não se apresentar à PF poderia gerar graves consequências jurídicas para o ex-presidente.

Foram 1h40 de negociações e espera até que Lula decidiu no início da noite ir a pé, cercado por seguranças, até um local do outro lado da rua, onde entrou em um veículo da polícia e foi em comboio até a cidade de São Paulo.

Ele se dirigiu à sede da PF na capital paulista, onde fez um exame de corpo de delito antes de ir para o aeroporto de Congonhas para voar rumo a Curitiba.