O que se sabe sobre o desabamento de prédio de sete andares que deixou mortos e soterrados em Fortaleza

Prédio que desabou em área nobre de Fortaleza Direito de imagem Google Street View
Image caption Prédio desabou na terça-feira no bairro Dionísio Torres, área nobre da capital cearense

Reportagem atualizada às 20h42 de sexta-feira (18/10)

Bombeiros e órgãos públicos ainda trabalham nos escombros de um prédio de sete andares que desabou na manhã de terça-feira (15/10) em Fortaleza, deixando pelo menos sete mortos e sete feridos resgatados com vida.

Em coletiva de imprensa nessa sexta-feira, o coronel Luís Eduardo Soares de Holanda, comandante do Corpo de Bombeiros, disse que os agentes ainda buscam duas pessoas sob os escombros.

"Os trabalhos vão até o dia que tirarmos todas as vítimas, se Deus quiser ainda com vida. A gente não tem hora, não tem tempo (de prazo para encerrar os trabalhos). Continuamos com o mesmo número de bombeiros, todos os equipamentos, todo o apoio da comunidade, do governo do Estado, da Prefeitura e dos órgãos parceiros. É como se fosse pra gente o primeiro dia de operação", disse Holanda.

Nesta sexta-feira, foi confirmada a sétima morte na tragédia, a de Vicente de Paulo Menezes, 86 anos.

O prédio que caiu tinha sete andares e localização no bairro Dionísio Torres, área nobre de Fortaleza. Um vídeo obtido pela BBC News Brasil mostra o momento em que uma pessoa é retirada com vida dos destroços.

Direito de imagem AssCom/CBMCE
Image caption 'Os trabalhos vão até o dia que tirarmos todas as vítimas, se Deus quiser ainda com vida', afirmou o coronel Luís Eduardo Soares de Holanda, comandante do Corpo de Bombeiros

Segundo bombeiros que trabalham na área do desabamento, o prédio tinha poucas crianças - a maior parte dos moradores era formada por casais e idosos. Acredita-se que boa parte dos moradores não estava no local por conta de o desabamento ter ocorrido em horário comercial.

O zelador de um prédio que fica a 100 metros do local disse que ouviu o barulho do desabamento e correu até a esquina para ver o que tinha acontecido. Como a poeira levantada pela queda tapou sua visão, ele decidiu voltar. O homem afirma que moradores demostravam preocupação com a estrutura do prédio, já desgastada.

"O pessoal comentava que a estrutura não estava boa. É um edifício antigo."

Vídeos que circulam nas redes sociais mostram as vigas do prédio com ferros à mostra e moradores relatando a situação com preocupação.

Lindalva Moreira, de 64 anos, descreveu o momento em que o prédio, vizinho a seu ateliê de costura, desabou.

"Escutei os gritos da minha filha (que estava na recepção do ateliê). Saí correndo ao encontro dela. Imaginei que era um prédio caindo", disse, ainda com a voz estremecida, por telefone à BBC News Brasil.

O presidente do Conselho Regional de Engenharia e Agronomia do Ceará (Crea-CE), Emanuel Maia Mota afirmou em entrevista à BBC News Brasil que foi registrada ontem uma Anotação de Responsabilidade Técnica informando uma reforma no Edifício Andréa, que desabou na manhã desta terça-feira em Fortaleza.

A anotação de responsabilidade é instrumento para identificar a responsabilidade técnica pelas obras ou serviços prestados por profissionais ou empresas, como foi o caso da reforma no edifício.

Já assistiu aos nossos novos vídeos no YouTube? Inscreva-se no nosso canal!

Tópicos relacionados