BBC World Service LogoHOMEPAGE | NEWS | SPORT | WORLD SERVICE
Portuguese Pesquisa na BBC Brasil
 
Primeira Página
Saúde &
Tecnologia
Economia
Cultura
Especial
Fórum
Aprenda inglês
ÁUDIO
Dois minutos pelo mundo
Notícias
Mundo Hoje
De Olho
no Mundo
Programação
Como Sintonizar
SERVIÇOS
Parceiros
Sobre a BBC
Expediente
Página simplificada
Fale com a gente
Empregos
E-manchetes
LÍNGUAS
Espanhol
Português para a África
Árabe
Chinêês
Persa
Hindi
Urdu
BBC News
BBC Sport
BBC Weather
 Você está em: Saúde & Tecnologia
19 de julho, 2002 - Publicado às 09h40 GMT
Amamentar reduz os riscos de câncer de mama, revela estudo
Mulheres que amamentam mais têm menos câncer
Mulheres que amamentam mais têm menos câncer

Cientistas do Centro de Pesquisas para o Câncer da Grã-Bretanha confirmaram nesta sexta-feira que o aleitamento materno reduz o risco da mulher desenvolver câncer de mama.

Aliado ao fato de ter mais filhos, o aleitamento materno é um fator determinante na diferença entre a menor taxa de câncer de mama em países mais pobres e o número maior de casos nas nações mais ricas.

Cientistas desconfiam que os dois fatores (número maior de filhos e mais tempo de aleitamento) evitam o câncer por conta da quantidade de hormônios femininos à qual a mulher é submetida ao longo da vida.

Amamentando ou ficando grávida, a mulher menstrua menos, o que estaria associado à prevenção ao câncer.

Tempo

Mulheres com casos de câncer na família, que tiveram puberdade precoce, menopausa tardia e sem filhos correm mais riscos de desenvolver a doença.

"Quanto maior o tempo que a mulher amamenta, maior é a proteção contra o câncer de mama", explica a professora Valerie Beral, do Charity Cancer Research UK, na Grã-Bretanha.

Beral e sua equipe estimam que se as mulheres amamentassem cada um de seus filhos por seis meses adicionais elas poderiam reduzir seu risco de desenvolver câncer de mama em até 7%.

Isso evitaria mais de mil casos da doença a cada ano só na Grã-Bretanha.

"Ter mais filhos e amamentá-los por mais tempo pode realmente evitar o câncer", acrescenta Beral.

O câncer de mama é o câncer mais comum em mulheres.

No último estudo, publicado na revista médica The Lancet, Beral e sua equipe analisaram informações de 47 estudos feitos em 30 países com 50 mil mulheres com câncer de mama e 100 mil voluntárias saudáveis.

Eles calcularam que para cada ano que a mulher amamenta, seu risco de desenvolver câncer de mama diminui 4,3%.

Suas descobertas ajudam a explicar por que as taxas de câncer de mama são tão baixas em países em desenvolvimento onde as mulheres têm seis ou sete filhos, comparados a dois ou três nos países ocidentais.

Nos países mais pobres, as mulheres ainda amamentam cada criança por mais de dois anos.

As mulheres nos países desenvolvidos amamentam seus filhos normalmente por dois ou três meses. Cinqüenta por cento das mães nos Estados Unidos, cerca de 25% na Europa e cerca de 10% na Escandinávia optam por não amamentar seus filhos.
 
   PNEUMONIA
Tire suas dúvidas sobre a Síndrome Respiratória Aguda Grave.
   E-MANCHETE
Assine o serviço da BBC Brasil para receber as principais notícias do dia por e-mail.







Notícias relacionadas:
22 de abril, 2002
  Gene defeituoso aumenta risco de câncer de mama
10 de janeiro, 2001
  Trabalho noturno pode causar câncer de mama
01 de janeiro, 1970
  Soja reduz riscos de câncer de mama, sugerem pesquisas
Links externos:
Centro de Pesquisas para o Câncer (em inglês)
The Lancet (em inglês)
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
BBC World Service Logo ^^Volta ao início da página
Primeira Página | Saúde & Tecnologia | Economia | Cultura | Especial
Fórum | Aprenda inglês
---------------------------------------------------------------------------------------------------
Programação | Como Sintonizar
Parceiros | Sobre a BBC