BBC World Service LogoHOMEPAGE | NEWS | SPORT | WORLD SERVICE
Portuguese Pesquisa na BBC Brasil
 
Primeira Página
Saúde &
Tecnologia
Economia
Cultura
Especial
Fórum
Aprenda inglês
ÁUDIO
Dois minutos pelo mundo
Notícias
Mundo Hoje
De Olho
no Mundo
Programação
Como Sintonizar
SERVIÇOS
Parceiros
Sobre a BBC
Expediente
Página simplificada
Fale com a gente
Empregos
E-manchetes
LÍNGUAS
Espanhol
Português para a África
Árabe
Chinêês
Persa
Hindi
Urdu
BBC News
BBC Sport
BBC Weather
 Você está em: Saúde & Tecnologia
29 de julho, 2002 - Publicado às 09h51 GMT
Mulheres fumantes somam 12 milhões no Brasil
A advogada Paula Carvalho defende o direito de fumar
A advogada Paula Carvalho defende o direito de fumar

Isabel Murray, de São Paulo

Os casos de câncer de pulmão e outras doenças relacionadas ao vício registrados no Brasil sugerem que as mulheres brasileiras estão fumando cada vez mais, principalmente as mais jovens.

Atualmente, dos cerca de 30 milhões de fumantes no Brasil, 12 milhões são mulheres, de acordo com o Inca (Instituto Nacional do Câncer).

Fumar já foi considerado um ato de sensualidade exacerbada. Quando Rita Hayworth estrelou o filme Gilda, em 1946, os produtores acharam que a beleza da atriz não era suficiente para construir a imagem da mulher sem igual.

Para ter um glamour irresistível, a personagem fumava - e muito. Ainda hoje no Brasil, muitas mulheres fumam atraídas pela idéia de beleza e sedução.

"Fumar era lindo"

Clique aqui para ler a especial "O Cigarro em Julgamento"

"Eu sou do tempo em que ainda se fumava na TV, se fumava no cinema, eu achava aquilo lindo. Dava uma aura quase divina às pessoas", diz Paula Carvalho, de 32 anos, fumante desde os 14.

"Todo fumante sabe, tem coisas que você não consegue fazer sem o cigarro. Eu não consigo falar no telefone sem fumar. Aí eu me desespero de pensar em parar de fumar – o que eu vou fazer quando falar no telefone, só falar?"

"Não sei acordar sem fumar um cigarro, ficar no computador sem fumar um cigarro, não sei comer nem dormir sem fumar um cigarro", diz a advogada.

Dados do Ministério da Saúde indicam que, de 1980 a 2000, triplicaram os casos de câncer de pulmão entre as mulheres.

De cada dez mulheres que sofrem infarto antes dos 50 anos, nove são fumantes. O vício também causa nascimentos prematuros.

Especialistas afirmam que o uso de anticoncepcionais aliado ao cigarro aumenta o risco de as mulheres sofrerem doenças cardiovasculares. Mas nenhum desses argumentos é capaz de convencer Paula Carvalho.

"Eu já parei de fumar. O que mais me decepcionou é que eu achei que iria ser uma nova mulher sem fumar e continuei a mesma porcaria de sempre", disse.

"Do meu último filho, apaguei o cigarro na porta da maternidade. Tive os dois com parto normal, com peso perfeito, nenhum teve problema."

Filhos

Paula tem uma filho de três anos e uma filha de dois e conta que a menina já pega as bitucas do cinzeiro para brincar.

Pesquisas também indicam que filhos de fumantes têm uma maior tendência a copiar o hábito dos pais. E o Instituto Nacional do Câncer afirma que 90% dos fumantes ficam dependentes da nicotina entre os cinco e os 19 anos de idade.

"Não faço apologia do cigarro, mas gostaria de ter um pouco de respeito. Esse patrulhamento é patético", afirma a advogada.

"Vou morrer no dia em que eu tiver que morrer, com cigarro ou sem cigarro. Um amigo meu morreu aos 34 anos de câncer, sem fumar. Quem morre de véspera é peru."

As estatísticas não são motivo de piada. De acordo com a Organização Mundial de Saúde, o câncer de pulmão já está ultrapassando o câncer de mama como a principal forma da doença entre as mulheres.

Os casos de câncer de colo do útero também são mais elevados nas fumantes do que nas não-fumantes.

Clique aqui para ler a especial "O Cigarro em Julgamento"
 
   PNEUMONIA
Tire suas dúvidas sobre a Síndrome Respiratória Aguda Grave.
   E-MANCHETE
Assine o serviço da BBC Brasil para receber as principais notícias do dia por e-mail.







Notícias relacionadas:
29 de julho, 2002
  Diagnóstico dificulta tratamento de câncer de pulmão
29 de julho, 2002
  Para Mário Prata, cidade grande mata mais que cigarro
29 de julho, 2002
  Produtores dizem que dependem do fumo para viver
29 de julho, 2002
  Fumo é responsável por 30% das mortes por câncer
29 de julho, 2002
  Abandonar o vício pode exigir ajuda profissional
Links externos:
Instituto Nacional de Câncer
Tabagismo no Ministério da Saúde
Banco Mundial – tabaco
Associação Internacional dos Produtores de Tabaco (em inglês)
Associação Brasileira da Indústria do Fumo
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
BBC World Service Logo ^^Volta ao início da página
Primeira Página | Saúde & Tecnologia | Economia | Cultura | Especial
Fórum | Aprenda inglês
---------------------------------------------------------------------------------------------------
Programação | Como Sintonizar
Parceiros | Sobre a BBC