BBC World Service LogoHOMEPAGE | NEWS | SPORT | WORLD SERVICE
Portuguese Pesquisa na BBC Brasil
 
Primeira Página
Saúde &
Tecnologia
Economia
Cultura
Especial
Fórum
Aprenda inglês
ÁUDIO
Dois minutos pelo mundo
Notícias
Mundo Hoje
De Olho
no Mundo
Programação
Como Sintonizar
SERVIÇOS
Parceiros
Sobre a BBC
Expediente
Página simplificada
Fale com a gente
Empregos
E-manchetes
LÍNGUAS
Espanhol
Português para a África
Árabe
Chinêês
Persa
Hindi
Urdu
BBC News
BBC Sport
BBC Weather
 Você está em: Saúde & Tecnologia
29 de julho, 2002 - Publicado às 09h36 GMT
Produtores dizem que dependem do fumo para viver
Lavoura de fumo na região Sul do Brasil
Lavoura de fumo na região Sul do Brasil

Isabel Murray, de São Paulo

Cerca de 200 mil famílias brasileiras têm na produção de tabaco o seu ganha pão.

Os três Estados da região Sul do país produzem 600 mil toneladas do produto por ano, e outras 40 mil toneladas são produzidas na Bahia e em Alagoas.

O Brasil é o maior exportador mundial de fumo, e a estimativa é de que a produção de 2002 gere divisas de aproximadamente US$ 1 bilhão.

Dados do Sindicato da Indústria do Fumo indicam que no Brasil o tabaco é uma cultura familiar - 92% da mão de obra é composta pela própria família, o que aumenta o rendimento dos produtores.

Polêmica do preço

Apesar dos números grandiosos, nos últimos anos o preço do fumo tem sido motivo de discórdia entre os agricultores e a indústria. Mas a safra de 2001 foi boa, gerando otimismo.

"Ninguém planta fumo por esporte, mas sim porque não tem outra opção", afirma Heitor Schuh, presidente da Federação dos Trabalhadores na Agricultura do Rio Grande do Sul (Fetag).

"Na nossa região, a geografia é complicada, normalmente a plantação é feita nas encostas dos morros. Não temos uma política definida para plantar milho ou soja. E nessa gangorra, o fumo é o produto mais estável, o que justifica que os produtores não queiram mais abandonar essa cultura."

Só no Rio Grande do Sul, são 70 mil famílias que vivem em função do plantio do fumo. Heitor Schuh reclama das campanhas antitabagismo do governo, que, segundo ele, não apóia o setor fumageiro.

"Se nós tivermos uma outra alternativa de produção, poderemos parar de plantar o fumo, sem problema nenhum", afirma Schuh.

"Não é por causa das campanhas que a gente vai plantar mais ou menos. Não podemos jogar na rua da amargura essas 70 mil famílias que dependem disso para sua sobrevivência."

"Resolvendo esse problema econômico e social, nós seríamos os primeiros a ser favoráveis. São campanhas justas, nós respeitamos, mas precisamos que a questão seja olhada dos dois lados", argumenta.

E ambos os lados são representativos. Só no sul do país, são 660 municípios produtores de fumo.

"Fumo, para nós, é sinônimo de salário, de fazer a consulta no médico, de ir ao supermercado, pagar as contribuições ao sindicato. É o ganha pão, o sustento das famílias envolvidas nisso e uma enorme fonte de geração de impostos para o governo", diz o presidente da Fetag.

Importância

O presidente da Fetag acredita que exista uma ausência de convicção política da importância do setor.

"Geramos empregos diretos e indiretos, geramos impostos. (A indústria) É alavancadora de desenvolvimento nas regiões produtoras. E o governo ignora isso e deixa o produtor lutando sozinho contra as grandes empresas para negociar os preços."

Na região Sul do Brasil, é plantado principalmente o fumo do tipo Virginia, cujas sementes foram importadas dos Estados Unidos e introduzidas em solo brasileiro partir de 1918.

Após a colheita, essas folhas precisam ficar secando num paiol, chamado de curadeira de fumo, por quatro ou cinco dias.

Depois do processo de secagem, as folhas de fumo são separados por cor em grandes fardos de 45 a 50 quilos, chamados de manocas, e levados para as indústrias fumageiras.

Clique aqui para ler o especial "O Cigarro em Julgamento"
 
   PNEUMONIA
Tire suas dúvidas sobre a Síndrome Respiratória Aguda Grave.
   E-MANCHETE
Assine o serviço da BBC Brasil para receber as principais notícias do dia por e-mail.







Notícias relacionadas:
29 de julho, 2002
  Cigarro resiste a anos de leis e campanhas no Brasil
29 de julho, 2002
  Para Mário Prata, cidade grande mata mais que cigarro
29 de julho, 2002
  Diagnóstico dificulta tratamento de câncer de pulmão
26 de julho, 2002
  Proibição do fumo em empresas reduz vício, indica estudo
29 de julho, 2002
  Fumo é responsável por 30% das mortes por câncer
Links externos:
Associação dos Fumicultores do Brasil
Associação Internacional dos Produtores de Tabaco (em inglês)
Federação dos Trabalhadores na Agricultura do RS
Instituto Nacional de Câncer
Associação Brasileira da Indústria do Fumo
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
BBC World Service Logo ^^Volta ao início da página
Primeira Página | Saúde & Tecnologia | Economia | Cultura | Especial
Fórum | Aprenda inglês
---------------------------------------------------------------------------------------------------
Programação | Como Sintonizar
Parceiros | Sobre a BBC