BBC World Service LogoHOMEPAGE | NEWS | SPORT | WORLD SERVICE
Portuguese Pesquisa na BBC Brasil
 
Primeira Página
Saúde &
Tecnologia
Economia
Cultura
Especial
Fórum
Aprenda inglês
ÁUDIO
Dois minutos pelo mundo
Notícias
Mundo Hoje
De Olho
no Mundo
Programação
Como Sintonizar
SERVIÇOS
Parceiros
Sobre a BBC
Expediente
Página simplificada
Fale com a gente
Empregos
E-manchetes
LÍNGUAS
Espanhol
Português para a África
Árabe
Chinêês
Persa
Hindi
Urdu
BBC News
BBC Sport
BBC Weather
 Você está em: Saúde & Tecnologia
23 de outubro, 2002 - Publicado às 11h40 GMT
“Colombo” chinês teria chegado primeiro à América
Expedição teria começado em 1421 e durado dois anos
Expedição teria começado em 1421 e durado dois anos

Uma frota de navios chineses teria chegado à América setenta anos antes da descoberta de Cristóvão Colombo, em 1492; pelo menos de acordo com o ex-comandante de submarino da marinha britânica Gavin Menzies.

Menzies vai lançar em duas semanas na Grã-Bretanha o livro 1421 – The year China discovered the world (1421 – O ano em que a China descobriu o mundo), que conta a história de uma expedição náutica chinesa que teria circunavegado o mundo entre 1421 e 1423.

Segundo os chineses, Zheng He, foi um navegador que comandou a esquadra de quatro navios, que acabou estabelecendo colônias chinesas ao redor do mundo.

A esquadra teria partido de Nanquim, então capital do Império Chinês, em 1421, em direção ao estreito de Málaca (entre a Indonésia e a Tailândia). Dali a esquadra teria seguido para o Caribe, passando antes pela Índia, Península Arábica e pelo Cabo da Boa Esperança.

Miscigenação


Livro reconta a história dos descobrimentos
A viagem teria continuado pela América do Sul, seguindo para o Pacífico Sul e Austrália pelo Cabo Horn e, de lá, cruzado novamente o Oceano Pacífico para chegar à América do Norte.

“Os chineses se estabeleceram na América do Norte – desde a ilha de Vancouver (Canadá), até o Novo México (Estados Unidos) – e constituíram famílias mestiças com os índios”, disse Menzies à BBC.

“Quando os colonizadores espanhóis chegaram no século 16, eles encontraram muitos chineses, além de restos de um tipo específico de barco à vela chinês. Mas as doenças levadas pelos europeus dizimaram 90% dos índios e varreram os vestígios da influência chinesa”, explicou o militar da reserva.

Menzies afirma que a teoria de que os chineses estiveram na América antes dos espanhóis e dos portugueses e na Austrália antes dos ingleses é aceita por muitos estudiosos da costa oeste dos Estados Unidos.

A teoria não é a primeira a contestar o pioneirismo de Colombo, já que historiadores escandinavos sustentam que os vikings cruzaram o Atlântico e chegaram à América por volta do ano 1000.

Retorno precoce

“É praticamente impossível ainda dizer que Colombo descobriu a América, que (James) Cook descobriu a Austrália e que (Fernão de) Magalhães foi o primeiro a circunavegar o mundo”, afirmou Menzies.


Cristóvão Colombo teria chegado atrasado?
O britânico passou vários anos pesquisando a autenticidade das informações sobre Zheng He, um eunuco muçulmano que prestou serviços a sucessivos imperadores da dinastia Ming.

Mas, apesar de ser considerado o principal responsável pela circunavegação chinesa, Zheng He teria retornado à China no início da expedição, quando os navios chegaram a Sumatra (a maior ilha da Indonésia).

Menzies disse, no entanto, que Zheng He merece o crédito das conquistas, pois ele teria projetado os navios e treinado os tripulantes.

A frota

A partir dali, a restante da esquadra teria continuado e, segundo Menzies, as provas de que os três navios estiveram no Oriente Médio, na África, na América e na Oceania são irrefutáveis.

Menzies conta que cada um dos navios era três vezes maior que um navio de guerra britânico do século 18 que media 46 metros de comprimento, podia levar 850 homens e foi construído com 6 mil árvores.

Segundo o escritor, a necessidade de madeira para a construção foi tão grande, que as florestas do Vietnã foram invadidas, o que provocou uma guerra com o antigo reino de Annam.


Menzies passou anos estudando as viagens de Zheng He
Mas, segundo Menzies, ao invés de receberem as glórias da conquista, os exploradores foram aposentados, os documentos da expedição foram queimados e as embarcações e todos os vestígios foram destruídas.

Pioneiro

Ele explica que, na época, houve uma mudança de poder no Império Chinês.

“O filho do imperador que havia encomendado a expedição assumiu ao poder em 1424 e inicou uma era de isolacionismo da China”, afirmou Menzies.

Agora que a China começa a se abrir novamente para o mundo, Zheng He é visto como um pioneiro.

O governo da província Jiangsu, onde fica a antiga capital Nanquim – berço da dinastia Ming –, ainda conserva o estaleiro onde os navios foram construídos.

E Menzies afirma que há um projeto milionário para construir uma réplica do navio, além de recriar o porto de Taicang, que teria sido usado por Zheng He.
 
   PNEUMONIA
Tire suas dúvidas sobre a Síndrome Respiratória Aguda Grave.
   E-MANCHETE
Assine o serviço da BBC Brasil para receber as principais notícias do dia por e-mail.







Notícias relacionadas:
23 de outubro, 2002
  Presidente chinês discutirá Coréia e Iraque nos EUA
25 de setembro, 2002
  Londres recebe amostra do legado de Charles Darwin
05 de agosto, 2002
  China diz que referendo em Taiwan pode causar desastre
04 de maio, 2002
  Entrada grátis eleva público de museus britânicos
20 de fevereiro, 2002
  Bush defende direitos humanos em visita à China
Links externos:
Site em inglês sobre Zheng He
The Remarkable Ocean World - Zheng He (em inglês)
O almirante dos mares do Oriente (em inglês)
Cidade de Nanquim (em inglêS)
Porto de Taicang (em inglês e japonês)
A BBC não se responsabiliza pelo conteúdo dos links externos indicados.
BBC World Service Logo ^^Volta ao início da página
Primeira Página | Saúde & Tecnologia | Economia | Cultura | Especial
Fórum | Aprenda inglês
---------------------------------------------------------------------------------------------------
Programação | Como Sintonizar
Parceiros | Sobre a BBC